SHOWS

Olodum

   EM 29 DE ABRIL DE 1979, nascia no antigo Maciel-Pelourinho – Centro Histórico de Salvador, o Bloco Afro Olodum. Criado apenas para desfilar no carnaval, proporcionando aos moradores do centro velho da cidade de Salvador a oportunidade de brincar o carnaval de forma organizada, o Bloco se transformou em uma das mais importantes instituições da cultura negra afrobrasileira.

   O Olodum é hoje um dos grupos musicais brasileiros de maior prestígio internacional, já tendo se apresentado em trinta e sete países, e em todos os continentes. Através do som dos seus tambores, o Olodum levou a musica e a cultura da Bahia para os  quatro cantos do mundo.

   A Banda Olodum revolucionou a linguagem da música brasileira e do carnaval baiano por meio da criação do Samba-reggae, com sucesso, aceitação popular e também pela crítica. O surgimento deste novo gênero musical,  veio como um divisor de águas na musicalidade mundial, que aproximaram grandes artistas nacionais do Olodum e concretizou a realização de parcerias com Gilberto Gil, Caetano Veloso, Milton Nascimento, Gal Costa,  Margareth Menezes, Daniela Mercury, Ivete Sangalo. No plano internacional,  o Olodum  também fez grandes parcerias como Alpha Blondy, Zigg Marley, Michael Jackson, Paul Simon, Jimmy  Cliff, Andrew Tosh, Kimbra, Sia, FatBoy Slim, Pusha T,  o grupo The Platters e muitos outros.

   O repertório musical da tour 30 Anos de Samba Reggae “Eu Falei Faraó” será compostos pelos  clássicos do Olodum, a exemplo de Faraó, Avisá Lá, Rosa, Alegria Geral, Vem Meu Amor, Berimbau, Madagascar Olodum, Ladeira do Pelô, Protesto Olodum, Canto ao Pescador, Deusa do Amor, Olodum Pra Balançar, mesclando com músicas cujo conteúdos nos levam a refletir sobre a importância de uma cultura de paz, a exemplo de Mel Mulher, Manifesto Pela Paz, Mãe Mulher Maria Olodum, e Eu Digo Jah”.

   Este show  proporcionará ao povo brasileiro aprofundar e/ ou passar a conhecer de forma particular como o Olodum mistura Samba Reggae,  com as diferentes linguagens artísticas brasileira,  transformando o rufar de seus tambores na batida que pulsa o coração.